Um dia na vida de um RP: um relato (quase) real e honesto

Um dia na vida de um RP: um relato (quase) real e honesto

Como é um dia típico de um Relações Públicas?

Não há um “dia típico” para um RP. Principalmente para aqueles que trabalham numa agência.

Enquanto responsáveis de Comunicação, a nossa prioridade é garantir que todos os stakeholders têm tudo o que precisam para fazer o seu trabalho. Isso significa parar tudo o que estamos a fazer para responder a um pedido de um jornalista ou deixar todos os projectos de lado para ajudar um cliente.

Então? O que é que acontece normalmente? Andar a mil e passar por uma montanha russa de emoções diariamente? Exacto!

Apesar de todos os dias serem diferentes nesta profissão, decidi partilhar, em primeira-pessoa, o relato de um dos meus dias enquanto responsável de comunicação. Será que é assim tão diferente da vossa realidade? Ou há pontos comuns?

 

Um dia na vida de um Relações Públicas

8:00 – O despertador toca. Altura de sair da cama? Não… primeiro é preciso ver todas as notificações, fazer um check aos emails e ver rapidamente todas as redes sociais.

8:20 – Banho. Para uns é mais um momento corriqueiro dos seus dias. Para um RP? Sinónimo de uma introspecção profunda sobre todas as decisões estratégicas tomadas nos últimos tempos.
Mesmo antes de desligar o chuveiro, surge aquela ideia perfeita para um pitch ou uma nova parceria.

9:00 – Chego ao escritório. Vou à máquina do café. Ligo o computador. Abro o Outlook e vejo que tenho 334 novos emails – respiro fundo, respondo aos urgentes e guardo os outros na pasta dos emails a tratar.

9:20 – Leio as notícias do dia. Procuro clippings, menções aos nossos clientes, referências à concorrência e tendências da indústria.

9:22 – Das duas uma: ou fico contente com um clipping incrível ou deprimida porque a concorrência teve um grande destaque.

9:30 – Vejo um artigo interessante, mas tenho de guardar para ler mais tarde. É altura de enfrentar o dia.

9:31 – Paro para re-avaliar a lista de tarefas. Dou prioridade às questões mais urgentes e faço uma lista do que tem de ser tratado HOJE.

10:00 – Momento agora de preparar o envio do press release do dia.
Vejo os comentários dos colegas e os reparos do cliente – morro um bocadinho por dentro -, e faço as devidas alterações.

10:30 – Preparo todos os materiais para o envio do comunicado… e reparo que o vídeo que deveria estar online ainda não está ou que a fotografia que temos não tem qualidade suficiente. Peço aos colegas do outro departamento para tratar com URGÊNCIA da questão, mas sei que a probabilidade de isso acontecer é zero.

10:31 – Respiro fundo.

10:50 – A situação está milagrosamente resolvida. Está tudo pronto para o envio.

10:55 – Email pronto.

10:56 – Releio, à procura de erros.

10:57 – Envio para mim própria. Vejo como os outros o irão receber.

10:58 – Releio novamente.

10:59 – Descubro um grande erro! Começo a suar e a dar graças aos deuses e santinhos dos comunicados de imprensa por ter reparado antes de enviar isto aos meus contactos.

11:03 – Releio outra vez.

11:07 – E outra vez.

11:09 – Agora sim. Tenho a “certeza” que está tudo perfeito. Tomo finalmente a decisão que está pronto a enviar.

11:10 – Quase a carregar no Enter para enviar… mas a dar aquela uma última revisão, como quem não quer a coisa.

11:15 – Carrego no Enviar.

11:15:02 – Arrependo-me subitamente (!) mas sei que já não há nada a fazer.

11:30 – Vejo o primeiro clipping e de repente sinto que posso retornar à normalidade.

11:35 – PRECISO de outro café.

11:40 – Altura de voltar à proposta de comunicação de um novo cliente.

12:10 – Entretanto recebo uma chamada de um jornalista por causa do envio de há pouco. Pergunta, resposta. Pergunta, Resposta. Done.

12:30 – Apresentação pronta. Está tudo pronto para a reunião de mais logo.

12:35 – Dou um salto à mesa dos designers só para confirmar se aquela brochura para outro cliente está ok.

13:15 – Almoço. A correr.

14:00 – Altura de reunir com o cliente. Apresentação da proposta e discussão sobre a execução. Por esta altura o cliente faz uma ou duas observações que me fazem questionar porque escolhi esta profissão, mas respiro fundo e continuo.

16:00 – Outro café.

16:15 – Altura para atualizar as redes sociais dos clientes e programar as próximas publicações.

17:00 – Volto aos e-mails.

17:55 – Procuro clippings do comunicado de imprensa enviado de manhã.

18:40 – Final da tarde: começo a arrumar as minhas coisas para ir embora…

18:41 – … e é precisamente nesta altura que aquele colega precisa de ajuda para algo SUPER urgente.

19:40 – Crise resolvida. Agora sim. “Até amanhã”.

20:00 – Ginásio? Mmm… não vai dar.

21:00 – Situação para o jantar: a sonhar com uma comida boa e um copo de vinho… mas vai ser uma torrada mesmo.

00:00 – Vou para a cama. Fecho os olhos.

00:17 – Subitamente – não sei como, nem porquê – tenho uma ideia para uma campanha.

00:25 – Agora a sério, cérebro.
Tenho de dormir.
Obrigada.
Até amanhã.
Beijinhos

 

Continuar a ler:

 

Se gostaram deste artigo, façam pin para o guardar:

Um dia na vida de um Relações Públicas: um relato (quase) real e honesto

Últimos comentários

  • Como diria um velho ditado, seria cômico se não fosse trágico! Fica difícil imaginar como é ter uma vida assim, mas pra quem gosta deve ser ótimo!

  • É mais ou menos isso…agora junta filhos à equação! ? Bjs, CH

Deixar um comentário

Ao continuar a usar este site concorda com a política de utilização de cookies. Ver Política de Privacidade

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close